7 de julho de 2011

Paris: Art Déco domina a cena da alta-costura

Maria Grazia Chiuri e Pier Paolo Piccioli, para a Valentino, e Elie Saab reforçaram a vocação art déco da temporada. Geometrismos associados a muito brilho, vestidos fluidos, decotes generosos, principalmente nas costas, e transparências foram consenso geral. A primeira maison contou a história de uma jovem mulher que viaja de Paris para o Império Russo e deixa tudo para trás, sai da sofisticação e cai na austeridade gélida, imperial. Na cartela de cores, branco, dourado, preto, prata, cinza, verde e vermelho. Por outro lado, o costureiro das estrelas de Hollywood pareceu ter se elevado a nível etéreo ao criar as peças e escolher a cartela de cores, quase monocromática, de azul clarinho, branco, salmon, marron e azul profundo no fechando com chave de ouro. Os micro vestidos e tule e organza de seda ficam lindos para as teens arrazarem, serelepes, sem correr o risco de "envelhecer". Eu, que sou baixinha e mignon, adoooro...


Por último, Jean Paul Gaultier fez uma compilação dos seus clássicos e levou uma miscelânea de estilos para a passarela. No começo fiquei confusa, principalmente porque não sabia a intenção do estilista. Confesso que achei que ele havia enlouquecido. Como assim... Releituras de terninhos risca de giz, peles, vestidos fluidos, cashmere, penas, saias longas, couro sexy e as famigeradas saias super godês inspiradas no balé (dizem, de inspiração no filme Cisne Negro, que Gaultier assistiu há pouco tempo). 

Amanhã é o último dia da semana de couture. Estou ansiosa para conferir as últimas apostas dos estilistas para o mercado de alto luxo... Eles são um ótimo preview para os mortais que consomem "apenas" prêt-a-porter e depois, seguindo a cadeia, o fast fashion.


Enjoy it!



Nenhum comentário: